Liderança em TI

Você Enxerga TI Reagindo ou Liderando As Mudanças na Empresa?

Existe um senso quase comum de que seremos salvos pela tecnologia. Inteligência artificial, internet das coisas, aplicativos para toda necessidade humana…

É o momento e a hora de grandes revoluções. A Geração anterior falava de 20 ou 30 anos para citar grandes diferenças no contexto de nossas vidas diárias. 

Todavia esta geração olha pra 5 ou 10 anos atrás e observa que mudanças muito radicais ocorreram no jeito de tocar a vida. 

Por conta disso é que grandes companhias olham primeiro para sua liderança em TI, imaginando vir dali a grande mudança de paradigma do negócio para os próximos anos.

Mas é isso mesmo que está ocorrendo? É TI quem está liderando as grandes mudanças do negócio?

Ação e Reação

Não é dificil olhar para os problemas que acontecem na companhia e logo perceber quantos são demandados por TI e quantos são demandados por outros setores, mas que envolvem TI.

O resultado desta conta simples de padaria, mostra se TI vem reagindo ou liderando as ações que criam soluções de maneira evitar problemas.

Mas é preciso que se diga, não é fácil não. Liderar é o caminho que leva para grandes descobertas inovativas, porém uma rotina de “extinção de de incêndios” torna o time de TI afogado em problemas reativos.

Esta situação comum na maioria das empresas, leva o pessoal de TI ao cansaço e muitas vezes a satisfação pelo simples fato de não deixar a “peteca tecnológica da companhia cair”

Há Tempo Para Todas as Coisas

Todas as ações que envolvem tempo no final vão lhe custar capital investido. E se o maior gargalo aqui é justamente liberar tempo para que os incêndios cessem e a criatividade possa surgir, então será necessário sim “comprar” algum tempo.

Nós vamos listar 3 itens que tomam muito tempo de TI e que podem ser contornados de maneira a liberar a equipe pra pensar sobre soluções antes dos problemas surgirem tornando a liderança em TI um foco do departamento.

Time de TI
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Momento de Juntar o Time e Inovar

1 – Senso de propósito bem definido

É comum a gente ver companhias com suas visões e missões estampadas em lugares visíveis. É menos comum, porém, que organizações reforcem e vivam isto diariamente, de modo a manter os times alinhados e produzindo valor constante para seus clientes.

Não se trata de filosofia, mas um estado mental e de ação dos times em direção ao propósito maior da companhia.

Todavia quantos departamentos de TI conseguiram traduzir o propósito maior em um propósito departamental que não apenas seja um co participante, mas um agente grupal de liderança em TI dentro da grande missão do negócio?

Esta é a grande questão a ser respondida. Quando ela for respondida, vai ficar claro tudo que está sendo, mas que não deveria estar sendo feito internamente pela equipe de TI.

2 – Acesso a recursos

Uma vez que você sabe qual é o propósito de TI dentro do grande propósito da companhia, a pergunta então passa a ser: temos os recursos necessários para liderar a transformação para cumprir este propósito?

Aquela frase bem comum do tipo “já cansei de pedir o equipamento tal, mas compras sempre nega por que ta fora do orçamento”.

Normalmente quando falamos de recursos pensamos em materiais, ferramentas, equipamentos e recursos humanos que vão contribuir pra alcançar o resultado.

Mas normalmente isso custa dinheiro, e sempre tem alguém na companhia cuja a missão é olhar para a planilha de custos, e nada mais.

Infelizmente em casos assim é necessário não apenas convencer, mas provar que o recurso vai fazer mais do que simplesmente elevar receitas, mas está alinhado com a geração de valor para o cliente da companhia e permite que a liderança em TI seja efetiva.

Existem diversos recursos importantes, mas todos que salvam tempo, como é o caso do outsorcing de tarefas realizadas pela equipe de TI.

Os mais comuns são: implantar infraestrutura, desenvolver aplicações muito específicas, controle de dados e telefonia, entre outros, são verdadeiros alívios para o time.

3 – Alinhamento de objetivos

Não há como ter um time criativo sem que estejam felizes com suas conquistas pessoais dentro do time.

Assim como a companhia tem um objetivo maior, que se traduz num objetivo de cada departamento, cada pessoa precisa ter objetivos pessoais dentro do departamento.

Nós vivemos o fenômeno das redes sociais. Alguém já parou pra pensar na grande razão de as pessoas estarem tão ligadas nisso?

Existem algumas respostas, mas sem dúvidas uma das mais fortes é o fato de que todos possuem voz! E vai da capacidade de cada um de se comunicar para ampliar sua audiência dia a dia.

Ambientes que não sejam como redes sociais, rapidamente perdem o poder de crescimento e ficam estagnados e reativos.

A missão maior da liderança em TI hoje, principalmente seu gestor, é ter um ambiente aberto, onde todo o time possui voz e ouvidos também. Esse é um grande fator criativo e de desenvolvimento.

Que conclusão chegamos?

É dificil ser líder. O nível de energia para se antecipar não é apenas o dobro do necessário para reagir, mas algumas vezes maior. E para criar um caminho que dê destaque a TI e consequentemente ao negócio, sempre se demanda tempo extra.

Mas o resultado vale a pena e o protagonismo que isso gera, sempre colherá bons frutos e uma liderança em TI que é boa para o própósito. Seja pessoal ou para toda a empresa. Então a melhor reação é sem dúvidas, liderar.

PS.: Criamos um Guia para redução de custos que tem ajudados muitas empresas a salvar verbas que podem ajudar seu time de TI a convencer o time de compras a finalmente adquirir aquele recurso que tanto vai ajudar TI a liderar: acesse o: GUIA PARA GESTÃO DE CUSTOS AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This