O que é governança de TI e por que sua empresa precisa dela?

A transformação digital vem mudando a forma como lidamos com a informação, fazendo com que o setor de TI adquira um papel de destaque nas empresas. Não se trata apenas de um conjunto de recursos a serem utilizados, mas de um departamento cujas ações podem gerar valor para o negócio e ajudar na estratégia de gestão.

Entretanto, para alcançar esse objetivo, é fundamental compreender o que é governança de TI, aplicando seus conceitos ao dia a dia. E é comum que surjam algumas dúvidas sobre o assunto, principalmente em relação aos benefícios de sua implementação.

Pensando nisso, mostraremos aqui tudo o que você precisa saber sobre governança de TI. Confira!

Afinal, o que é governança de TI?

Com os constantes avanços tecnológicos, investir em TI deixou de ser apenas uma questão de colocar dinheiro em ativos de um único departamento. Hoje, é preciso gerar estímulo para a empresa como um todo, fazendo com que todos os setores se beneficiem das mudanças que partem da TI.

Para que isso seja possível, é essencial ter controle sobre os processos, fazendo com que eles tragam benefícios dentro de um planejamento. Assim, a governança de TI pode ser compreendida como uma estratégia de gestão. Ou seja, um conjunto de práticas que orienta as decisões tomadas por quem gerencia o setor.

O conceito foi criado com o objetivo de elaborar e colocar em prática estratégias capazes de gerar vantagem competitiva à empresa por meio dos recursos de TI. Para isso, é preciso compreender o conceito como uma verdadeira extensão da governança corporativa — em outras palavras, um de seus braços.

Assim, na TI, devem ser definidos processos, políticas, regras e ações que viabilizem o uso inteligente das ferramentas disponíveis. Da mesma forma, essa estratégia deve pensar no futuro, avaliando as possibilidades de novos investimentos e trazendo inovação constante por meio da tecnologia.

Todos os profissionais de TI devem ser envolvidos nas práticas definidas, ainda que caiba ao gestor e à Diretoria da empresa estabelecer os objetivos. Entretanto, de forma alguma esse conceito deve ser confundido com o gerenciamento de TI.

Qual é a diferença entre governança e gerenciamento de TI?

Por mais que ambas as práticas estejam relacionadas à aplicação dos recursos (humanos e tecnológicos) da equipe de TI, é essencial que elas não sejam confundidas — nem mesmo misturadas. Uma coisa é diferente da outra!

O gerenciamento de TI envolve a avaliação da capacidade técnica da equipe, para que as soluções sejam dimensionadas com garantia de disponibilidade e segurança. Ou seja, ela está diretamente ligada à operação do setor e à manutenção dos seus recursos.

Já a governança de TI é como uma “gestão da gestão”. Considerando que a Diretoria tem seus objetivos definidos e sabe da importância de gerar valor por meio da tecnologia, as práticas aqui discutidas visam a garantir que a TI atue de acordo com a estratégia da empresa.

Grosso modo, a empresa estabelece seus objetivos e como alcançá-los, enquanto a governança de TI, por sua vez, utiliza isso como referência para guiar suas ações internas. Ainda assim, vale destacar que o objetivo é beneficiar a empresa como um todo — cada um dos departamentos e até mesmo parceiros e clientes. Os recursos são pensados e aplicados em diferentes níveis do negócio.

Como isso funciona na prática?

Estudiosos da área da gestão afirmam que o que não pode ser medido não pode ser gerenciado. Por isso, é importante definir alguns parâmetros mais claros para esclarecer como a governança de TI pode ser adotada. Citaremos aqui as 5 frentes fundamentais que o gestor deve ter em mente.

Alinhamento estratégico

A base de toda a governança de TI está no alinhamento com a estratégia da empresa. É ela que garante que os processos de negócio e de tecnologia funcionem com sinergia, complementando um ao outro.

Entrega de valor

Por mais que sejam eficientes, ações cujo objetivo seja muito abstrato demoram a dar resultado. Por isso, é importante definir uma estratégia que gere valor ao negócio, seja ele financeiro ou não. Um bom exemplo é a implementação de ferramentas que otimizem o tempo no atendimento ao cliente. O resultado é um processo mais rápido e, consequentemente, com menor custo.

Gerenciamento de riscos

Aplicar recursos com inteligência significa prever os riscos de cada ação para minimizá-los. Cabe à governança de TI tornar essa análise parte obrigatória de seus processos.

Gerenciamento de recursos

A forma de aplicar os recursos depende diretamente do setor de atuação da empresa e de sua dinâmica interna de funcionamento. Por isso, o objetivo geral dessa frente é otimizá-los. Isso significa implementar uma cultura de melhoria constante, para que todos auxiliem a melhorar os processos, aumentando a produtividade e reduzindo os custos.

Mensuração de desempenho

De nada adianta uma estratégia inteligente se o gestor não contar com ferramentas para avaliar se ela está dando os resultados esperados. Por isso, é essencial implementar diferentes indicadores que meçam precisamente o desempenho da equipe.

Tendo isso em vista, falaremos agora sobre o papel atual da governança de TI no mundo corporativo.

Por que sua empresa precisa implementá-la?

A tecnologia vem guiando os rumos do mercado há um bom tempo. Entretanto, com seus rápidos avanços nas últimas décadas, ela abriu espaço para que ações criativas na gestão resultem em diferencial competitivo. Consequentemente, a governança de TI passou a ser mais que uma vantagem — é uma questão de sobrevivência.

A importância da TI continua crescendo e está totalmente atrelada à estratégia da empresa. Por isso, os processos aqui mostrados servem de alicerce para dar suporte à própria governança corporativa. Por mais inovadora que uma empresa seja, ela não vai muito longe sem o uso eficiente de seu setor de TI.

Um outro reflexo visível é a integração proporcionada entre os setores. Mesmo no setor de TI, as tecnologias tendem a converter para plataformas unificadas, na nuvem, com serviços mais completos e uma comunicação otimizada. Na relação entre os departamentos, a governança de TI proporciona essa mesma evolução.

A informação — que desempenha um papel fundamental na geração de valor — passa a estar sob maior segurança. Sistemas tecnológicos que não lidam com a realidade da cibersegurança, por exemplo, estão se tornando obsoletos.

Quanto mais a empresa se preocupa com suas informações — seja gerenciando seus documentos digitalmente, seja auditando o uso dos recursos de telecom —, mais sucesso ela terá na redução de custos no negócio. E todos esses fatores impactam um ponto central: a tomada de decisões.

O grande benefício da governança de TI é transformar o uso da tecnologia em poder de ação para o gestor. Em vez de focar seu tempo apenas resolvendo problemas, ele age de forma planejada, estratégica, visando a alcançar os objetivos definidos pela Diretoria.

Agora que você já sabe o que é governança de TI, faça já uma análise em sua empresa e veja como ela pode ser a ferramenta que você buscava para otimizar sua gestão!

Gostou do nosso post? Então saiba também como implementar a governança de TI em sua empresa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This