Não seja pego de surpresa: faça a gestão de crise em TI

 

Gerenciar a tecnologia de uma empresa pode ser um trabalho desafiador na maioria do tempo, mas para eliminar erros de rotina, o profissional responsável deve manter todas as atividades nos trilhos e precisa contar com uma boa gestão de crise em TI.

Ao contrário do que o senso comum prega, a Tecnologia da Informação não existe apenas para “apagar incêndios”, mas sim para aumentar a competitividade da instituição no mercado e garantir que ela tenha os melhores processos. E não dá para chegar lá sem se estruturar adequadamente, não é mesmo?

Durante esse processo de organização, a prevenção é o melhor remédio. Por isso, leia o texto abaixo, ou assista o vídeo para descobrir a importância dos planos de gestão em uma crise.

Afinal, o que é a gestão de crise em TI?

O processo consiste em identificar e mapear os possíveis problemas que podem aparecer durante a operação, determinando um plano com medidas preventivas e corretivas para cada um desses contratempos.

A gestão faz parte da Governança em TI, que é uma política que planeja e implanta estratégias que gerem vantagens competitivas para as ferramentas da empresa. O gerenciamento de crise é parte essencial para evitar que a organização sofra prejuízos relacionados às falhas nos seus sistemas.

Como é feita a gestão de crise em TI?

Se um bom planejamento é fundamental na hora de lidar com imprevistos, fazer a análise dos riscos envolvidos reduz as chances de crise.

Porém, nem sempre os problemas podem ser evitados e, na eventualidade de algum se tornar real, uma gerência bem feita apontará o caminho para minimizar os impactos negativos na operação do negócio.

Para que você saiba como fazer sua gestão de crise em TI, separamos três dicas imperdíveis que te mostrarão por onde começar! Veja só:

1. Faça o diagnóstico de riscos

Crises não acontecem do nada. Elas são resultado de ameaças que não foram bem monitoradas. Por isso, para saber como se proteger, é importante conhecer quais fatores são prejudiciais à sua organização.

O melhor caminho é se reunir com os chefes dos departamentos que utilizam os sistemas de TI da empresa para entender quais são os riscos específicos de cada área.

Neste momento, você pode utilizar de três perguntas chaves para entender o caminho que pode levar a uma crise. São elas:

  • O que pode acontecer?

  • Qual a probabilidade de ocorrer?

  • Quais as possíveis consequências?

2. Elabore um plano de contingência

Respondendo às perguntas acima, você terá uma visão completa dos riscos que poderão levar a uma crise nos sistemas de TI. Isso é primordial na elaboração de um plano de contingência, determinando as ações que devem ser tomadas para evitar transtornos.

Mas é muito importante ir além. Mesmo com toda a prevenção do mundo, estamos sujeitos a erros e suas consequências. Já saber de cara o que deve ser feito possibilita economia de tempo e redução dos estragos causados. Portanto, identifique também quais passos serão necessários para conter os impactos de uma eventual falha.

3. Identifique prioridades e otimize processos

Depois de feito o diagnóstico e elaborado o plano de contingência, você conseguirá enxergar o cenário como um todo. Também será possível identificar que alguns riscos podem levar a crises maiores do que outros.

É necessário avaliar o grau de impacto desses transtornos, corrigindo-os antes que afetem outros processos. Problemas nos sistemas de telefonia da empresa podem gerar, por exemplo, gastos extras e comprometer toda a operação. Nesse caso, é importante realizar uma auditoria para entender quais pontos devem ser melhorados.

Quer saber se aperfeiçoar ainda mais no assunto? Então, leia o nosso artigo sobre auditoria de TI e entenda como ela pode ajudar na sua gestão de crise!

 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This