Inteligência Emocional: como aprender no ambiente de trabalho?

Você provavelmente já ouviu falar sobre inteligência emocional, correto?

Porém, você sabe qual é o impacto dessa aptidão para o seu crescimento? Segundo o jornalista e escritor Daniel Goleman, a Inteligência Emocional é responsável por 80% das conquistas em nossa vida, isso tanto para a vida pessoal quanto para a profissional.

O autor afirma que ter autocontrole e empatia é tão importante quanto resolver um complexo calculo matemático. Ele defende que ter uma boa relação com as próprias emoções é considerado a mola propulsora que o fará alcançar altos patamares e enfrentar os mais complexos obstáculos da vida.

O ambiente de trabalho é um local muito propicio para a evolução destas características, pois é nele que você passa grande parte do dia, com pessoas diferentes, perfis diferentes e emoções diferentes, assim um cenário ideal para exercitar sua capacidade de lidar com relacionamentos, experiências e situações.

A partir dessas informações, como podemos desenvolver e usar da melhor forma a inteligência emocional para alcançar o sucesso?

O primeiro passo e o mais importante é promover o autoconhecimento!

Muitas vezes as pessoas não reconhecem certos padrões de comportamento e não aceitam feedbacks devido ao modo de agir, e por isso, ter autoconsciência é indispensável para iniciar o desenvolvimento dessa capacidade, o que acaba resultando em outro aspecto relevante: a empatia, compreender o que outro sente e valoriza.

A partir deste autoconhecimento é essencial que você reconheça quais características devem ser melhoradas e quais devem ser ponderadas.

Isso pode ser observado em dois casos distintos, como exemplo, alguém que possui uma personalidade mais enérgica, essa pessoa não precisa se transformar totalmente em um “buda”, exalando calmaria, para ter um bom quociente emocional. Basta entender como este comportamento tem seus ônus e bônus e saber aproveitá-la de forma inteligente e dosá-la em momentos necessários.

Assim como, uma pessoa que tenha um comportamento introvertido não necessita se tornar o “amigão da galera” para ser considerado habilidoso em relacionamentos. As características dessa personalidade, também podem ser administradas para o desenvolvimento da inteligência emocional.

Por isso, a importância do autoconhecimento: entender como é seu comportamento, como é sua reação diante de conflitos e acontecimentos, te dá a possibilidade de determinar energia para o desenvolvimento e melhorias. Lembrando que também é essencial fazer o acompanhamento dessa evolução, para que ela não se torne um processo subjetivo.

Na WeAudit nós sabemos disso e temos ações que vão diretamente de encontro com autoconhecimento e inteligência emocional de maneira pontual fazemos isso via testes de perfil comportamental e coaching individual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This